Manifesto dos Rascunhos

Olhe para nós. Eu e você.

Olhe para frente. E para o que somos agora.

Ainda há tanto a aprender; tanto a aprimorar, em nós e no mundo.

E nós podemos. E podemos querer.

Quero que a vida seja boa de viver, e eu sei — eu sei! — que consigo isso para mim e para quem está à minha volta.

Começa assim, entendendo que temos muito a melhorar. E de repente os olhos se abrem mais, e percebemos que há muito mais do que o certo e o errado; e nossos braços se esticam, e sentimos que alcançamos mais longe, e as possibilidades se multiplicam.

Começa assim, e então compreendemos melhor todas as diferenças que há no mundo, e entendemos o que todos nós somos.

Somos rascunhos.

E se você é como eu, se quer mudar tudo para melhor, se abraça as possibilidades — você é Rafisquete.

Ser Rafisquete é sentir que toda criatividade é bem-vinda, toda opinião é legítima e toda pessoa tem valor. É querer melhorar todo dia um pouco, um traço de cada vez. É admitir que somos rascunho e, justamente por isso, saber que o caminho a seguir é em frente, rumo à arte final.

Há tantas soluções, tantas saídas criativas! Eu sei uma, você outra — todas valem. E se nos juntarmos, então, há tantas ideias fora do comum — e melhores ainda — a pôr em prática!

Ser Rafisquete é ser livre da vergonha de inventar, é ser único e especial a seu jeito, e contribuir para o mundo com a sua coragem e o seu traço indispensável — que é só seu.

Rafisquetes. Somos todos rascunhos.

O que são os Rafisquetes?

Rafisquetes são desenhos. Não os muito aprimorados, mas os feitos de rascunhos. O nome vem da pronúncia da expressão inglesa rough sketches, que significa “rascunhos”. Os Rafisquetes nasceram do conceito de que qualquer um sabe rabiscar um rascunho, e por isso qualquer um pode desenhar um Rafisquete.

Rafisquetes não têm uma forma definida. São qualquer coisa. Nas galerias, aos poucos, você vai ver brotar todo tipo de personagens feitos de rabiscos simples, com formas e temas totalmente livres.

Aqui, eu convido você a liberar sua criatividade. Para dar à luz um Rafisquete, não é preciso talento, mas só lembrar aquele gostinho divertido que havia em rabiscar bonequinhos de palito no canto da página. Desenhe seus bonequinhos de palito, e mande para cá. Aqui eles não ocupam o canto das páginas, mas o centro das atenções.

Desenhe. Vamos inventar um mundo de Rafisquetes.